quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Às Vezes





Às vezes sinto que não vale a pena
Às vezes sinto que tudo o que é Mundo me desilude
Às vezes perco o gosto e a cor
Às vezes pergunto-me se a vida realmente será boa, e qual será o seu sabor?
Às vezes as pequenas coisas já nada me dizem
Às vezes já nem os eternos sonhos me deslumbram
E por vezes...até a música fica muda.

Ás vezes sinto que sou um palhaço triste num circo em que todos se riem se olhar...
Pois aqueles que surgem acabam sempre por desiludir
E aqueles que estão para surgir...cada vez mais sinto que não hão de vir

Russo

1 comentário:

Vanessa disse...

Não sei bem o que dizer, amigo...
Compreendo a tua tristeza, e quem me dera que um abraço meu tudo curasse. Eu sei que ajuda, mas será que cura? Acho que não...
Sei que há dias em que as palavras de pouco servem...sei que há dias, em que a esperança se desvanece, ao ponto de perguntármos se realmente existiu...
Não te falarei de esperança, porque a esperança, por vezes, cansa; falar-te-ei de coragem, porque é esta força que me tem mantido de cabeça erguida e de coração e personalidade forte.
O meu próximo post será para ti, para que partilhe contigo um pouco desta minha coragem, porque lembra-te que só os mais fortes são capazes de revelar as suas fraquezas. A vida não tem segredos, apenas muita coragem, esforço, trabalho e dedicação.

Um beijo gigante