sexta-feira, 9 de março de 2007

Lado Negro

São todos os minutos
Os segundos
Desta bigorna e martelo
Que teima e não deixar de moldar
A lâmina do próprio tempo
Que há-de de um dia nos cortar
O medo
O impulso
O sobressalto de ter a mente a gerar
De não a conseguir parar
De criar, a meio da noite
Imaginar com vontade própria...rasgando o pensamento....
Tentar encontrar o calor na tristeza
Querer descer mais fundo
De mãos dadas com a fraqueza
Este lado negro que desponta
Com vontade própria
Com gosto em fazer sangrar
Tenta corromper
Dobrar, vergar
Sugando a própria esperança
Alimentado-se da vontade...
Deste poder á música para me quebrar...
Mas agora a música é minha aliada...
A Luz é a minha metade...
Mas não
Não desta vez
Desta vez não estou sozinho
Alguem me dá forças...
Não conseguirás
Já és pó
Matei-te á nascença
Bani-te
Ela é luz
A minha luz
E tu não pertences mais ao meu Mundo
E a ti Luz, obrigado por me voltares a dar cor ao Mundo
A dar-me força
A reensinar-me a viver....
A acreditar no Amor
Obrigado....



Ass: Russo


2 comentários:

Sara Rodrigues disse...

Lindo.... simplesmente isso..

Não pude deixar de me comover.. e de me arrepiar até ao amago de mim...

Adoro-te maninho =)

Roger disse...

Não há palavras para comentar aquilo que fala por si só!

Isto é q é escrita!!!
Granda Baião!